Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Diário Medicina Preventiva

Uma intensa viagem pelo dia-a-dia de uma estudante de Medicina e, além disso, algumas indicações sobre a importância da prevenção para preservarmos a nossa saúde.

Diário Medicina Preventiva

Uma intensa viagem pelo dia-a-dia de uma estudante de Medicina e, além disso, algumas indicações sobre a importância da prevenção para preservarmos a nossa saúde.

20.Mar.07

CURIOSIDADE DE CARTEIRO

 

Violência e maus-tratos sobre um bebé.

 

Numa quinta-feira, o carteiro  que habitualmente entrega a correspondência bateu à porta de uma família, num 1º andar, e viu um menino deitado no chão; a mãe desculpou-se dizendo que o menino estava “com a birra”. Os pais, no dia seguinte, sexta-feira, um dia fatídico, da parte da tarde, chamaram o INEM e a equipa médica encontrou o menino em coma e com marcas de agressões; tinha hematomas em todo o corpo e um braço partido.

Pergunto-me como é que uma mãe de 21 anos e um padrasto de 26, podem ser suspeitos de durante quatro meses terem agredido violentamente um bebé de 27 meses.

Este bebé fofo, internado nas Urgências de Pediatria do Hospital de Santa Maria, está em coma, que pode ter sido causado por uma ou mais agressões na cabeça, como confirmaram os médicos que o assistiram.

Os vizinhos acreditavam piamente que o menino era bem tratado… mas o choro e os constantes lamentos de dor do bebé não saíam da cabeça de quem se habituou a observar a família de longe.

Espero que a punição seja aplicada com todo o rigor e ainda será pouco. O Código Penal estabelece a aplicação de uma pena de dois a dez anos de cadeia para os crimes de ofensa à integridade física grave, com danos no corpo. Se a vitima for débil (pressupõe-se que um bebé o será) o juiz pode agravar a pena. No caso de maus-tratos, pode ser aplicada pena acessória de proibição de contacto com a vítima.

Infelizmente, as situações de maus-tratos, de que este caso é só um pequeno exemplo, ainda existem em demasia no nosso país.                  

“A violência não é força, mas fraqueza, 
nem nunca poderá ser criadora de coisa alguma, apenas destruidora.”
Benedetto Croce